Minha namorada

Minha namorada tem a pele perfumada,
Mas não sabe disso, não sabe de nada.

Meu olfato, de fato, sortudo;
Sente o cheiro no seu corpo, de tudo.

Minha namorada tem uma entrada,
Linda, que não abre por quase nada.

É preciso tato, de fato, para abrir o coração
Dessa moça, e receber o sim no lugar do não.

Minha namorada ri, dá gargalhada;
Minha namorada é muito engraçada!

Por ela me mato por tudo,
Por mim, ela me mata por quase nada.

Rio, 31/8/2001

Autor: Rui Pizarro

Um espaço para comentários, opiniões, debates, fotografias e celebrações de amizades, novas e antigas. Os temas vão da política à religião, do futebol ao budismo, do amor à raiva, da literatura ao jornalismo, do bom humor às manias e da poesia ao passado. Sejam bem-vindos amigos, irmãos. camaradas e companheiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *